24 de set de 2009

Oh! a chuva chegou!


Oh! a chuva chegou!


Oh! a chuva chegou! Há que tempo
esperava que a chuva chegasse.
Oh! a terra era um brado de angustia!
Oh! o céu que tristeza, meu Deus!

As estradas andavam às cegas
e os riachos mostravam seus ossos,
duras pedras roliças, polidas,
onde as águas minguavam chorando.

Oh! a chuva chegou! Eis a chuva
a cair pelo espaço e a cantar.
Canta, chuva, que a terra te escuta
e parece dançar de alegria.

Canta, chuva, que as arvores todas
se sacodem felizes, lavando
nessa tua cantiga molhada
suas penas cinzentas de pó.

Oh! a chuva chegou, que beleza!
Há seis meses que a chuva não vinha
e eu que tinha as raízes enxutas
esperava esse dia chegar!


Ougo a chuva cantando, ouço a chuva
e por isso me pus a cantar,
tudo canta molhado, na chuva! ,
tudo canta, molhado, no olhar!

Oh! a chuva chegou! Que alegria!
Oh! a chuva chegou! Vou cantar!



JG de Araujo Jorge

Nenhum comentário:

Postar um comentário