8 de abr de 2012

DE CHUVAS E VIDAS


DE CHUVAS E VIDAS
(Wender Montenegro)

Eu quero, em marços da infância,
seguir em procissão rumo à bica da igreja;
em covas de arapucas, com meu pai,
plantar pimenta e colher sabiás;
com meu avô engravidar a terra
e desfiar bisaco em pássaros de sorte.
Eu quero um formigueiro no umbigo,
cortar íngua no pé, com faca benta
e achar a voz perdida dentro da romã.
Quero a raiz dos olhos dos poetas
e das parteiras a urgência das mãos
pra parir poemas de onde escorrem vidas...

Nenhum comentário:

Postar um comentário